Menu

Ancoragem - finanças comportamentais

Ancoragem - finanças comportamentais

Na próxima seção, exploraremos oito conceitos-chave que os pioneiros do financiamento comportamental identificaram como contribuindo para a tomada de decisões financeiras irracionais e muitas vezes prejudiciais.

Nossas idéias e opiniões devem ser baseadas em fatos relevantes e apropriados para serem considerados válidos. No entanto, nem sempre é esse o caso. O conceito de ancoragem é baseado na tendência de anexar ou "ancorar" nossos pensamentos a um ponto de referência, mesmo que não tenha relevância lógica.

Isso pode parecer improvável, mas a ancoragem é bastante comum em situações em que as pessoas estão lutando com novos conceitos.

A âncora diamantada

Tomemos o exemplo clássico: a sabedoria convencional dita que um anel de noivado de diamantes deve custar o equivalente a cerca de dois meses de salário. Acredite ou não, esta "norma" é um dos exemplos mais ilógicos de ancoragem. Esta referência totalmente indiferente foi criada pela indústria joalheira para maximizar os seus lucros, não é uma forma de avaliar o amor de um casal.

Muitos homens não se podem dar ao luxo de gastar dois meses de salário por um anel. Como resultado, algumas pessoas se endividam para cumprir a "norma". Logicamente, o valor gasto em um anel de noivado deve ser ditado pelo que uma pessoa pode gastar. Mas o poder de ancorar encoraja muitos homens a seguir esta "norma" apesar da despesa.

Evidência acadêmica

Certamente, o padrão de dois meses neste exemplo parece relativamente plausível. No entanto, estudos universitários têm demonstrado que o efeito de ancoragem é mais forte quando ocorre em situações em que a âncora é absolutamente aleatória.

Em 1974, em um artigo intitulado "Julgamento sob incerteza: Heurística e preconceito", Kahneman e Tversky conduziram um estudo no qual uma roda contendo números de 1 a 100 foi girada. Em seguida, os sujeitos foram questionados se a percentagem de países membros africanos da ONU era maior ou menor do que o número da roda. Tversky e Kahneman verificaram que o valor de ancoragem aleatório do número exibido na roda teve um efeito pronunciado na resposta dada pelos sujeitos. Por exemplo, quando a roda pousou em 10, a estimativa média dada pelos sujeitos foi de 25%, enquanto que quando a roda pousou em 60, a média foi de 45%. Como você pode ver, o número aleatório teve um efeito de ancoragem nas respostas dos sujeitos.

Ancoragem de investimento

Ancoragem também pode ser uma fonte de frustração no mundo financeiro, uma vez que os investidores baseiam as suas decisões em dados e estatísticas relevantes. Por exemplo, algumas pessoas investem em ações de empresas que caíram significativamente em um período de tempo muito curto. Neste caso, a âncora do investidor é a última maior da ação, o investidor acredita que a queda nos preços é uma boa oportunidade de compra.

É verdade que a inconsistência do mercado global pode levar a um declínio em algumas ações, permitindo que os investidores se beneficiem desta volatilidade de curto prazo. No entanto, o valor de uma acção diminui muito frequentemente devido a alterações nos fundamentos do subjacente.

Por exemplo, se o estoque XYZ fez um bom número no ano passado, o preço da ação é aumentado de US$ 25 para US$ 80. Infelizmente, um dos principais clientes da empresa, que representa 50% do volume de negócios da XYZ, decide não renovar o seu contrato de compra com a XYZ. Esta mudança nos eventos faz com que o preço das ações caia de $80 para $40.

Ao ancorar o recorde anterior de $80 e o preço atual de $40, o investidor acredita erroneamente que a XYZ está subvalorizada. As ações não são vendidas com desconto, uma vez que o declínio no valor é causado por uma perda de receita devido à saída de um grande cliente. Neste exemplo, o investidor corre o risco de ficar ancorado.

Evitar a ancoragem

Quando se trata de evitar a ancoragem, não há substituto para um pensamento crítico rigoroso. Seja particularmente cauteloso sobre os números que você usa para avaliar o potencial de uma ação. Os investidores bem sucedidos não só baseiam as suas decisões em um ou dois benchmarks, como também avaliam cada empresa a partir de uma variedade de perspectivas para obter a imagem mais precisa do cenário de investimento.

Resumo - Teoria das finanças comportamentais